Informativo da Prátika Ltda. Janeiro e Fevereiro/2017 Ano VI Número 01

Destaque

6 Atitudes que Necessitam Zero de Talento

No cenário atual, é mais comum ver funcionários sendo demitidos por má atitude do que por deficiência técnica ou maus resultados. Isto porque, treinamentos técnicos podem ser providos e resultados podem ser alcançados através de acompanhamento e dedicação. O que realmente torna difícil reter um profissional é a sua atitude, sua postura profissional, sua conduta. Ele pode ser até um profissional competente e talentoso, porém se faltar uma disposição interior em ter um comportamento adequado no ambiente de trabalho, poderá colocar em risco suas oportunidades de crescimento ou até motivar seu desliga-mento. Confira as atitudes que necessitam zero de talento:

1) Ser pontual. Não significa apenas chegar no horário, mas cumprir prazos ou negociá-los, previamente. Implica também dar retorno aos e-mails, telefonemas e outras solicitações o quanto antes. Ser pontual é demonstrar respeito e comprometimento com os demais.

2) Ser ético. A ética expressa os valores da verdade: respeito à vida, à dignidade humana, à liberdade responsável, ao trabalho e ao bem comum. Não existe ética da mentira ou meia ética, por isso não dá para dizer “sou meio ético”, ou se é ou não se é ético.

3) Ser esforçado, ser perseverante, contribuir da melhor maneira em busca de bons resultados.

4) Ter atitude. Através de suas atitudes, as pessoas a sua volta verão suas ações e poderão te valorizar por isto.

5) Colocar paixão no dia a dia. Sentir paixão pelo que fazemos constitui hoje um diferencial. Paixão é a força que nos impulsiona a buscar resultados e a melhoria contínua no âmbito profissional e pessoal. É pensar positivo, estar motivado, é querer o bem a todos e a si próprio.

6) Saber ouvir. Costumo dizer nos meus treinamentos que falar é importante, mas saber ouvir é fundamental. Quer ser um bom ouvinte? Seja atencioso. Quer ser um excelente ouvinte? Seja empático. É fácil identificar um mau ouvinte, pois ele está classificado em outros 3 níveis da escuta: ouvindo seletivamente, fingindo que está ouvindo ou simplesmente ignorando.

Quais dessas atitudes você tem no seu dia-a-dia?

Reflita! Matéria Enviada por Eliane Carvalho  (Recursos Humanos)

ANIVERSARIANTES DE MARÇO

Unidade - Ribeirão Preto

01 - Marcciele de S. Marques

02 - Guilherme A. Victório

08 - Alex Sandro S. Soares

09 - Elias R. de S. Camargo

22 - João Henrique M. Machado

31 - Alexandre E. do Carmo

Unidade - Campinas

25 - Luiz Roberto Piardi

Unidade - São Paulo

04 - Midian Farias da Costa

ANIVERSARIANTES DE ABRIL

Unidade - Ribeirão Preto

01 - Ednilson José Zueli

27- Luciana Aparecida G. Limiro

Unidade - Bauru

24 - Cristiane de F. B. de Almeida

Unidade - Belo Horizonte

17 - Poliana Teixeira de Souza

Unidade - Pres. Prudente

25 - Valdir Toseto Dias

ANIVERSARIANTES DE MAIO

Unidade - Ribeirão Preto

10 - Fabio Gastaldi

10 - José Donizete Soares

11 - Edison Luiz de Oliveira

11 - Saulo William de O. Silveira

15 - Nathan Caum e Silva

Unidade - Campinas

19 - José Adenir Florencio

Unidade - São Paulo

04 - Jesiel Soares de Medeiros

23 - Cicera Romana de Sousa

Recursos Humanos

Você me Conhece?

Renato, mas poderia ser chamado de Sr. Domingues. Super certinho, super preocupado, super responsável, super apaixonado, supervisor! Lembro desse menino entrando em minha sala para a entrevista de seleção. Franzino, carinha de bebê e muito tímido. Aos 19 anos, Renato já sabia muito bem o que queria da vida. Na época, ele estava trabalhando e tive dificuldades em agendar sua entrevista, pois mesmo buscando uma nova oportunidade, se portou corretamente com o antigo empregador. Precisei me programar para estar bem cedo na empresa, pois as duas vezes em que conversamos foi antes do horário de sua entrada no trabalho. Entre um questionamento e outro, oportunamente ele olhava para o relógio. Sabia de seu compromisso com o trabalho e isso o preocupava. Era nítida sua tensão, mas em nenhum momento me deu respostas inconsistentes, tampouco quis acelerar o processo ou reclamou de pressa para ir embora. Eu perguntava: “tudo bem, Renato?” Ele acenava a cabeça afirmando que sim. Alguns detalhes já eram notórios: apesar da pouca idade, parecia ser ordeiro, tinha certeza dos objetivos pessoais e responsabilidades – o que o levou rapidamente a assumir a função que ocupa hoje.

Foi contratado para ser Assistente Operacional. Dois anos depois, foi promovido a Supervisor de Suporte e, um ano depois, já havia assumido o cargo de Supervisor Operacional Jr. Em abril, mais um degrau será alcançado e ele passará a Supervisor Operacional Sênior. Renato é o supervisor mais jovem da empresa e recebeu o cargo, por mérito. Este mês ele completa mais um ano de empresa, são quatro anos de um caminho trilhado sempre em brilhante ascensão. E como ele amadureceu. É um profissional centrado, competente, sabe se relacionar bem com as pessoas, possui iniciativa, é muito organizado e bem-humorado. Trabalha bem e equipe, reage de forma muito positiva às inovações, não teme mudanças.

Como cresceu também - profissionalmente e fisicamente! Franzino faz parte de um passado que talvez poucos se recordem.  Ele está tão alto que para falar com ele tem que olhar para cima. Além disso é vaidoso. Malha todo dia e as camisas mal lhe cabem nos braços. E como come, este menino! É mimado pela Vivi, sua namorada, que prepara boa parte da sua alimentação, rica em proteína, vitaminas e carboidratos que ele consome diariamente para seus treinos. Isso para não falar dos imensos shakes e dos suplementos que fazem parte da sua rotina. Tem as porcarias também, mas nesta idade pode (quase) tudo.

Apaixonado pela sua linda Vivi, entre muito trabalho e muito estudo, ele se derrete em declarações de amor em redes sociais e muitas selfies.

Renato, só podemos esperar para você um futuro muito promissor. Neste mês você faz aniversário de tempo de serviço, mas somos nós, Prátika e colegas que ganhamos o presente.

Obrigada por fazer parte da nossa equipe!

Matéria: Eliane Carvalho - Recursos Humanos

RENATO DOMINGUES JUNIOR

Idade: 23 anos.

Função: Supervisor Operacional.

Trabalha desde: Março/2013.

Unidade: Ribeirão Preto.

Cor favorita: Azul. Lazer: Se possível viajar e descansar, sair muito para restaurantes e cinema.

Defeito: Teimosia e muitas vezes a seriedade me atrapalha um pouco. Qualidade: Determinação, honestidade e companheirismo. (tá bom, né?!...rs)

Família: Significa tudo. Sonho em construir a minha, ter meu lar, filhos, cachorros, tudo do meu jeito e da Vivi (minha amada)!

Futuro: Acredito que ainda tenho muita coisa para realizar e conquistar, sempre com a benção de Deus!

Comida: Stronogoff e massas. Bebida: Coca-cola. Música: Sutilmente – Skank.

Viagem: A última viagem que fiz que foi para Poços de Caldas, o lugar até que é comum, mas foi a primeira viagem que fiz sozinho com a Vivi, num hotel fantástico e atendimento diferenciado.

Recordação: As histórias dos meus avôs.

Maior sonho: Viajar muito, realizar viagens para o exterior, conhecer Bariloche.

Maior loucura: Não tenho nenhum tipo de história que ficou marcada por ser meio “doida”.

O que irrita: Pessoas que fazem pouco caso com as coisas.

Uma necessidade: Comer, descansar, sorrir, passear, comer e descansar de novo, sempre na melhor companhia.

Um vício: Trabalho e treino. Um pecado: Ter demorado muito para me tornar mais responsável financeiramente mas, graças a Deus, hoje tenho tudo muito mais organizado.

Curiosidades: Sou uma pessoa que se cobra demais, sonha muito, muitas vezes trooca “os pés pelas mãos” querendo fazer tudo ao mesmo tempo. Me defino como imparável, sinto necessidade em sempre aprender e busco sempre ajudar o próximo, por mais que não fique fazendo muita “propaganda” disso.Como perceberam também sou completamente apaixonado pela minha namorada, já temos todo o planejamento do que queremos e de como as coisas acontecerão.

Operacional

A Importância da Devolução dos Uniformes Usados

Todos sabemos da importância de estarmos bem apresentados, com roupas limpas e bem cuidadas. O nosso uniforme é a nossa imagem junto ao cliente. A Prátika fornece a seus funcionários 2 conjuntos de calça e blusa a cada 4 meses, aproximadamente. É de respon-sabilidade do funcionário a manutenção dos uniformes, devendo cuidar bem deles e não usar alvejante ou água sanitária para lavá-los, evitando assim manchas aparentes. A cada 04 meses o uniforme poderá ser trocado. Mas, para isso, o uniforme usado deve ser entregue no ato da troca pelo novo.

A empresa recebe os uniformes usados e faz uma reciclagem, separando os que estão em bom estado e os que estão muito desgastados. Os que estão em bom estado, são enviados a uma lavanderia que faz a higienização das peças, lavando e embalando uma a uma.

No mês de dezembro, foram reaproveitados: 14 batas, 79 calças, 65 jalecos e 4 camisas.

Essas peças são enviadas para funcionários que prestam serviço extra, cobertura de faltas, limpeza pesada. Aproveitando os uniformes economizamos e evitamos o desperdício. Dos uniformes que estão desgastados retiramos a logomarca da empresa e os doamos a ABRACCIA – Associação Brasileira de Combate ao Câncer Infantil e Adulto, que aproveita o tecido para confeccionar tapetes, bolsas, jogos americanos etc, que são vendidos em um bazar.

Então agora você já sabe: é muito importante que todos os uniformes usados sejam devolvidos. Faça a sua parte. Oriente os colaboradores quanto ao uso correto dos uniformes e solicite a devolução do usado na entrega do novo.

Matéria: Maristela Mello – Secretária da Direção

Boas Notícias

Clientes Conquistados  

Ribeirão Preto

> Logmed Armazenagem e Logística

> Ancoradouro Representações e Turismo

> Vianorte (PMRV) - Sertãozinho - SP Pedregulho - SP

> FAEPA - USP

> Banco Mercantil do Brasil Araguari - MG / Guaxupé - MG Monte Carmelo - MG / Patrocínio - MG Patos de Minas - MG São Sebastião do Paraíso - MG Uberlândia - MG (Ag. J.N. D'Avila e Ag. Afonso Pena)  

São Paulo

> Brave - Brasil Veículos Elétricos Cajamar/SP

> Eletro Fase - Construções e Engenharia Elétricas - Cajamar/SP

> Shoulder Ind. e Com. Confecções (Unidade Bom Retiro)

> Treviso - Corretora de Câmbio

> Fundação Bradesco - Osasco/SP  

Belo Horizonte

> Banco Mercantil do Brasil Caratinga - MG / Congonhas - MG Conselheiro Lafaiete - MG Contagem - MG / Curvelo - MG Formiga - MG / Vespasiano - MG João Pinheiro - MG / Timóteo - MG Montes Claros - MG (Ag. Afonso Pena e Ag. Padre Augusto) São João Del Rei - MG / Lavras - MG Sete Lagoas - MG (Ag. Altino Franca e Ag. Emilio Costa) Varzea da Palma - MG  

Campinas

> Brasil Pré Pagos Adm. Cartões

> Jotec do Brasil Imp. Com. Equip. Hospitalares - Valinhos/SP

> Análise Empresarial Contabilidade

> Oxitec do Brasil Tecnologia de Insetos

> Banco Mercantil do Brasil - Alfenas - MG / São Roque - SP / Baependi – MG  

Presidente Prudente

> Sicoob Cooperativa de Crédito Valparaíso - SP (Sede Adm. e filial) Mirandópolis - SP / Guararapes - SP Araçatuba - SP / Guaraçai - SP

> Coop. Crédito Rural Alta Paulista Birigui/SP

> VM Center Veículos - Assis/SP

> Unimed Coop. de Trabalho Médico

 

Boas Vindas

Ribeirão Preto - Matriz

Guilherme A. Victorio (Admissão) - Auxiliar Administrativo - Depto. Financeiro  

Campinas

Flávio de Assis Correia (Admissão) Assistente Administrativo - Depto. Operacional

São José do Rio Preto

Danithelly Amanda Pereira (Admissão) Auxiliar Operacional

Fala Gestor

Liderança: Tarefa X Relacionamento

Liderar é conseguir que as coisas sejam feitas através das pessoas. Neste sentido, sempre haverá duas realidades em jogo - a tarefa e o relacionamento. É muito comum o líder perder o equilíbrio, colocando o foco apenas em uma das realidades e deixando a outra em segundo plano.

Então faço uma pergunta para você: Se um líder colocar o foco na tarefa e esquecer o relacionamento o que pode acontecer? Rotatividade de pessoas é uma das respostas, mas podem acontecer também: rebeliões, má qualidade de trabalho, baixo comprometimento, desconfiança, etc.

Há líder que se concentra nos resultados e se descuida do relacionamento, e acaba gerando muita insatisfação entre os colaboradores. Você talvez reaja dizendo que nenhum trabalho se sustenta se a tarefa não for executada. E você está completamente certo. O líder que não estiver cumprindo as tarefas e ficar preocupado só com os relacionamentos com certeza não ficará muito tempo no cargo. A chave para a liderança é: executar as tarefas enquanto se constroem os relacionamentos. E porque muitas lideranças não dão certo? Porque é costume colocar alguém na liderança pelas suas aptidões técnicas desenvolvidas no desempenho das tarefas. E isso é uma armadilha!

Você pega seu melhor técnico e o promove a supervisor e pode estar criando dois problemas novos: passará a ter um mau supervisor e perdeu o seu melhor operador de resultados. Muitas vezes um excelente técnico tem péssimo relacionamento com sua equipe. No entanto a maioria das pessoas que ocupam cargo de liderança tem sua realidade voltada para as tarefas. A pergunta a ser feita é: os relacionamentos são tão importantes assim numa liderança?

Em toda a minha vida de executivo eu aprendi uma grande verdade: tudo na vida gira em torno dos relacionamentos. Especialmente nos negócios, porque sem pessoas não há negócios.

Para concluir: empresa saudável fala e vive de relacionamentos saudáveis. Portanto, o grande líder desenvolve a capacidade de construir relacionamentos saudáveis!

Fonte:http://www.pharolrh.com.br/artigos/Artigos%20Profissionais/O%20que%20e%20mais%20importante.htm

César Orbolato é gestor no SAC de Presidente Prudente.

Melhoria Contínua

Melhore um Pouco a Cada Dia

"Quando você melhora um pouco a cada dia, coisas grandes começam a ocorrer. Não procure por melhoras rápidas e grandiosas, busque uma pequena melhoria, um dia de cada vez. É o único modo para que aconteça - e quando acontece, dura."John Wooden foi um jogador e treinador de basquete americano.

É considerado o melhor treinador da história do NCAA, graças aos 10 campeonatos vitoriosos conseguidos em toda sua vida com a equipe UCLA Bruins, entre 1964 e 1975.